⁣Jamerson Livre

Por Bruno Alves


Ok! Jamerson livre. Três anos depois, trabalhando como motorista de aplicativo, ao passar em um blitz constou um mandando de prisão temporária, autorizada pelo mesmo juiz em 2018. Jamerson foi novamente preso no dia 25 de janeiro de 2020. ⁣

No dia que fomos ao presídio onde está custodiado, houve um incêndio no presídio, e as entrevistas de advogados e visita dos familiares foi suspensa. Foi noticiado que ninguém se feriu. ⁣

Quando finalmente conseguimos falar com ele, informou que seu pavilhão foi um dos últimos a ser liberado, que tinham sido esquecidos, que a fumaça era tanta que além de quase se intoxicarem, alguns ficaram pendurados na passarela por conta da péssima visibilidade. ⁣

Iniciamos a busca pelo inquérito onde havia sido autorizado sua prisão com o seguinte questionamento: “QUE PROVA NOVA É ESSA QUE COLOCA ALGUÉM NO LUGAR ONDE JÁ SE COMPROVOU NÃO ESTAR???“, pois apenas isso autorizaria…⁣

Para nossa surpresa, até o momento o inquérito encontrasse sumido, o que no direito chamamos de local incerto e não sabido. A delegacia diz que está no fórum, o fórum diz que está na delegacia… E o tempo passa. ⁣

Essa espécie de prisão no direito, dentre outras coisas, serve para viabilizar uma investigação. Mas, ela foi pedida em 2018, e tem prazo de 30 dias. Passado dois anos, o Jamerson é preso. O sumiço do inquérito torna a situação mais nebulosa, visto que não permite a defesa ter acesso ao teor da “prova nova”. ⁣

Outra gravidade é que, por conta da prisão injusta de 2017 Jamerson ficou fichado, e sua foto foi usada para reconhecimento de um crime em 2019, o ministério público também pediu prisão nesse caso, mas a juíza com muita sabedoria negou. ⁣

Um jovem negro acusado de matar um Policial, por mais que comprove a inocência, terá uma vida indigna.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.